Imprimir

A subsidiária brasileira da gigante em gestão e automação de energia elétrica Schneider Electric está investindo da unidade de Curitiba para que esta se torne a fornecedora global dos religadores automático da empresa. Após seis meses de ajustes estruturais, a planta situada na capital paranaense viu a sua capacidade produtiva triplicar para atender aos mercados interno e externo. Para dar conta da maior produção, a unidade paranaense praticamente dobrou sua mão de obra fabril.

Segundo Paulo de Tarso Gomes, vice-presidente de Global Supply Chain para América do Sul da Schneider Electric, o Brasil é responsável pelas exportações globais. “Em virtude de marcos regulatórios, vivemos aqui, assim como ocorre em outras localidades, um aumento da demanda por essa solução”, comenta. Na mesma linha, o presidente da Schneider Electric para o Brasil, Cléber Morais, avalia que a decisão global de concentrar a fabricação de religadores automáticos na planta de Curitiba mostra a força da capacidade competitiva do país.

Os religadores automáticos são usados em redes de distribuição elétrica aérea em grandes centros urbanos, com alta concentração de usuários, e têm a função de restabelecer mais rapidamente a energia, em caso de queda na maior parte das vezes associada a tempestades ou problemas técnicos. A tecnologia evita longos períodos sem energia elétrica e otimiza os custos das concessionárias que utilizam os equipamentos. Várias distribuidoras brasileiras são clientes da solução.

 

Fonte: Canal Energia