O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Jr, informou nesta segunda-feira, 13 de março, que as negociações com a Shanghai Electric para a transferência de um projeto de transmissão arrematado em leilão pela Eletrosul em 2014 estão em fase final. O executivo disse que não poderia antecipar quais serão as condições do acordo com a multinacional chinesa, mas afirmou que o termo de referência da operação deve ficar pronto esta semana. Ferreira Jr participou de reunião no Ministério de Minas e Energia, acompanhado pelo presidente da Eletrosul, Márcio Zimmermann, e por representantes da Shangai.
 
A operação envolve a transferência da concessão do lote A do leilão 004/2014, sem qualquer pagamento à estatal. O projeto prevê a implantação de 2,1 mil quilômetros de linhas de transmissão e de oito subestações, além da ampliação de 13 subestações existentes. O investimento previsto em 2014 era de R$ 3,27 bilhões. 

As instalações vão permitir a interligação à Rede Básica do Sistema Interligado do potencial eólico do Rio Grande do Sul. A proposta da empresa chinesa foi apresentada em chamada pública aberta pela Eletrosul para o repasse integral do lote A do certame. Em nota publicada em janeiro, a subsidiária informou que poderá assumir participação acionária de até 25% em etapa posterior.
 
Venda de participações - A Eletrobras pretende selecionar ainda em março uma consultoria que fará o acompanhamento do processo de venda de ativos da estatal. Caberá a essa empresa identificar quais serão as sociedades de propósito especifico que entrarão no processo de desmobilização, fazer a avaliação e definir a modelagem de venda. A previsão é de que o processo de venda de empreendimentos eólicos e de transmissão seja concluído no terceiro trimestre do ano. A receita será usada para abater as dívidas das empresas controladas. 

Além disso, a estatal está preparando avaliações das empresas nas quais é minoritária para exercício do tag along, caso os controladores desses empreendimentos decidam se desfazer do controle societário. “Nunca colocamos nenhum tipo de restrição a isso”, afirmou Ferreira Jr, ao ser questionado sobre a posição da Eletrobras em relação à venda de participações em empreendimentos estruturantes. 

O executivo destacou que interessa acompanhar um controlador que tem uma proposta de venda, porque ele tem um preço mais alto. “Exercer tag along significa você vender total ou parcialmente a sua participação no mesmo nível de preço que o controlador vende. Ele vende com prêmio. Mas nós não vamos tomar a decisão de vender a nossa participação minoritária sem que haja um processo de controlador”, disse à Agência CanalEnergia. A Eletrobras, acrescentou o presidente, vai se preparar para acompanhar eventuais decisões de venda de empreendimentos, caso da hidrelétrica Santo Antonio, por exemplo. “Isso sim, nos interessa.”

 

Fonte: Canal Energia

Notícias

  • Aneel autoriza repasse de R$ 105 milhões da RGR para distribuidoras designadas 08/02/2018 14:45

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou o repasse de R$ 105,4 milhões do Fundo Reserva Global de Reversão (RGR), a título de empréstimo, às concessionárias designadas para a prestação do serviço público de distribuição de energia elétrica.Os valores vão beneficiar os consumidores atendidos pelas empresas Amazonas Energia D (R$ 44,3 milhões), Boa Vista Energia (R$ 23,7 milhões), Cepisa (R$ 9,3 milhões), Ceron (R$ 15,5 milhões) e CEA (R$ 12,4 milhões), segundo despacho publicado...

    Leia Mais...

mapa iconMAPA DO SITE - clique aqui para abrir

mapa iconMAPA DO SITE - clique aqui para fechar